Download Revista Orixas e Africanos - Abril de 1997 PDF

TitleRevista Orixas e Africanos - Abril de 1997
TagsReligion And Belief Tea
File Size2.8 MB
Total Pages44
Document Text Contents
Page 1

“0.11' ASE AWO DIM ” 0»í .cP “NKOSISIKELA1’AFJHKA E 0 BRASIL”
“Olha o poder da pele negra” * ^ O '' “Deus abençoe a Africa e o Brasil”

ÒRÍSÀ* & AFRICAI OS
ÓRGÃO OFICIAL DE DIVULGAÇÃO DO CULTO E DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA
Ano X - Edição n9 41 - Diretor-Presidente: Adhemar D'Ómolu - Editor Chefe: Nelson N. Neto - Diretora-Administrativa: Rose D'Dangbé

os Nigérib

Page 2

Casa Ubiratan
Produtos africanos legítimos

%

Tudo a preço de custo
M onjoló Africano R $ 2 9 ,0 0

C o lares e F irm as A fricana R $ 1 5 ,0 0
D elogum de 7 Fios e 7 F irm as R $ 1 4 ,0 0

Brajá, Búzios R $ 9 ,0 0
Laguid ibá R $ 9 ,0 0

Coral C o ro a R $ 5 ,0 0
A m b a r "Oxum" R $ 1 9 ,0 0

Terracota R $ 1 5 ,0 0
M içan g as - Quilo R $ 1 4 ,0 0

Entregamos encomendas em
qualquer parte do Brasil. Artigos de

Umbanda e Candomblé em Geral
Compare os nossos preços
e veja nossas promoções

Ibá em Porcelana, completo bacia de louça R$34,00
Ibá em louça R$19,00

Mel litro R$1,20 - Dendê litro R$1,70
Cartola (Exu) R$4,90

O BAR ATEI RO DO MERCADÃO DE MADUREI RA
Crediário Próprio - Aceitamos cheques Pré-datados

Av. Min. Edgard Romero, 239 - Mercadão de Madureira
BAZAR UBIRATAN - Galeria G - Loja 220

m 359-2752 - Ekédi Glória

Page 22

20 M S AS !■■■ AJRÍCAK'GS ABRIL/1997
Após às explicações dadas pela a

Iyá, o Babalorixá Geninho referiu-se a
respeito do Orixá Odé, que é cultuado
aqui no Brasil, e que é considerado
como Rei de Ketu, atual republica de
Benin. A fim de ilustrar mais os $eus
conhecimentos, Geninho perguntou a
Iyá se na Nigéria, Odé ainda é conside­
rado Rei.

A esse respeito, a Iyalode Ifafunke
deu a seguinte explicação: - O Orixá
Odé é o mesmo que o povo brasileiro
aceita ; E le é na verdade o R ei de
Alaketu. Inclusive na Africa, Odé fica
junto com a família de Ogun.

O Babalorixá Arthur de Logun
antes de formular a sua pergunta, diri­
giu-se a Iyá nos seguintes termos: “Iyá
Oshun, em primeiro lugar é um prazer
enorme, tê-la mais uma vez em nossa
casa, pois a senhora sabe muito bem
disso, pois a quase sete anos que nós
nos conhecemos, nossa Mãe africana.

A minha pergunta é a seguinte: - A
seis anos atrás quando houve o quarto
congresso de trad ição e cu ltu ra do
Orixá em São Paulo, quando nós nos
conhecimentos, o Onin de Ilê Ifé teve
um sonho, e ele disse nesse sonho que
todos os povos do candomblé e de tra­
dição Iorubá, deveriam se unir contra
as perseguições, só que infelizmente,
não é isso que nós estamos vendo hoje
no Brasil. Quais são as suas palavras
sobre a união do povo do candomblé,
pois, as outras religiões estão se unin­
do, e muitas delas, estão se unindo con­
tra nos.

Ao enfatizar a pergunta formulado
por Arthur; a Iyalode Ifafunke disse:
Essa pergu n ta é m uito im portante
para mim, o sonho do Baba Omin Ifé,
é na realidade resolver os problemas
que são muitos dentro do culto dos
Orixás, nós Babalorixás devemos nos
unir e lutar, não devemos querer ser
um mais do que o outro, pois desta
maneira, não encontraremos paz entre
nós mesmos. Esse sonho que ainda
não se tornou realidade, é devido a
essa fa lta de união entre os irmão,
cabe cada um respeitar o outro, seja
ele grande ou pequeno.

Para que as pessoas entendam o
que eu quero dizer, vou c ita r um
exemplo:

O Babalorixá Nivaldo é de Oyá, às
pessoas que são de Oyá, devem tomar
abenção a ele que é de Oyá, nós temos
que pedir abenção a ele.

O mesmo exemplo serve para os
f ilh o s-d e -sa n to do A rth u r de

Logunedé, que devem tomar abenção
a ele. E infelizm ente isso não está
acon tecendo aqui no pa ís , porqu e
cada um fica com ciúme ou inveja do
outro, porque um fica pensando: - Ele
tem e eu não tenho, e outras coisas
m ais. Esses são os p rob lem as que
a tu a lm en te estão acon tecen do . O
melhor é que todos devem se respeitar
mutualmente, e com isso haverá paz,
prosperidade e progresso.

Ao ser perguntada se conhecia per­
sonalidades do candomblé, radicadas
aqui no Brasil, que dizem que vão à
Nigéria - Africa, e que receberam títu­
los ou cargos, a Iyá disse o seguinte:

Eu quero agradecer a sua pergun­
ta, pois a mesma é muito importante
para todos os pais-de-santo do país,
vou responder com o devido respeito a
pergunta form ulada. Em prim eiro,
quero dizer que a primeira pessoa que
nós conhecemos lá na Africa e que fo i
lá, é a Mãe Bida que reside aqui no
R io de Jan eiro e M ãe C aitana de

Salvador - BA, que já faleceu e que
Deus a guarde; Depois fo i o Professor
José Mendes de São Paulo, que fo i
sagrado Saloro de Oshogbô; Otumbá
da terra de Ido-Osun, em cerimônias
oficiais realizadas nos Palácios do
A taojá, em Oshogbô, do A taojá o f
Oshogbô Land e no Palácio do Oludo,
em Ido-Oshun, inclusive esteve pre­
sen te nas referid a s cerim ôn ias o
Embaixador do Brasil.

Eu não vou d ize r que conheço
outros pais-de-santo, inclusive isso
pode gerar polêmica e alguns ficarem
com inveja deles. Eu acho que o
melhor é dizer a verdade, a fim de que
as pessoas fiquem sabendo quem fo i e
quem não foi.

Existe outras pessoas que já foram
e já receberam títulos, que eu pessoal­
mente não sei, as que eu conheço são
as que fa le i anteriormente, embora
também exista o professor Bia que já
fo i à A frica; B eto e F rancisco da
Oshun, eles conhecem a minha casa,
estiveram em Lagos, Oshogbô, Oyó e
Abeokuta.

O im portante de tudo é que nós
Babalorixás, estejamos sempre unidos,
e devemos viver como irmãos, e ser
uma fam ília unida, pois não adianta
um ficar com ciúme do outro, porque
a gente nasceu de uma mulher e de
um homem, pois somos na realidade
uma família, pois fo i Olodumaré que
nos mandou para o mundo.

É sabido que aqui no Brasil, as pes­
soas não reconhecem o cargo e o título
que o Professor José Mendes, eu gosta­
ria de saber da senhora, qual é na reali­
dade o cargo e o título que ele possui.

Eu quero agradecer mais unta vez a
todos vocês, e principalm ente pelas
perguntas que me estão fazendo. A
respeito do Professor José Mendes, eu
pessoalmente não sei como ele é aqui
no Brasil, só uma coisa que eu posso
con ferir, é que o P ro fesso r J o sé
Mendes fo i na Africa e recebeu títulos
e certificados. Agora, eu não sei se as
pessoas daqui aceitam ou não aceitam,
porque eu não moro aqui no país. O
que eu sei na realidade, é que ele fo i lá
e recebeu o Titulo de Obá Oludô Of
Brazil Land, inclusive eu estava pre­
sente na referida cerimônia, em que
ele recebeu.

Ao responder a pergunta formulado
pelo Babalorixá Nivaldo, a respeito do
culto há alguns orixás, que dizem aqui
no Brasil, que na Nigéria não são mais
cultuados, como: Nanã, Ossâin e Ewá,

Page 23

ABRIl/1997 òm m a- m iw ã m 21
a Iyá respondeu o seguinte:

N iva ldo , sobre a sua
pergunto referente ao orixá
Ewá, que p esso a s daqu i
dizem que ela não existe
mais na Nigéria - Africa,
isso não é verdade, lá tem
Ewá. Lá tam bém tem
O ssâim , que não é um
orixá. Ossâim é um espíri­
to, por exemplo: Bira que
está aqui no Rio de Janeiro
e fo i lá na Africa, ele pegou
Ossâin lá no Ojô, e aquele
Ossâim está na casa dele.
Sobre Nanã, ela também
existe na Africa, ela está na
terra de Abeokuta, e existe
muitos filhos de Nanã lá.
Se algumas pessoas dizem
que Nanã, Ewá e Ossâim
não estão lá, isso é comple­
tamente errado.

Complementando a res­
posta, o Babalorixá Arthur
de Logun informou aos pre­
sentes que, o que foi dito é
que, Ossâim, não é um orixá
ao ponto de ser cultuado
como os demais orixás, como Oxum,
Oyá etc. Ele é apenas um espírito que
cuida e toma conta de todas as folhas -
Ewé e de todas as árvores, ele é apenas
um espírito da floresta.

Mais quando nós estamos usando as
folhas, estamos usando também o espí­
rito de Ossâim. E é por isso que nós
cultuam os Ossâim que é o dono do
nicho na África.

• Orixá Egbe - Durante a entrevista
que nos foi concedida pela Iyalode
Ifafunke, o Babalorixá Arthur, lem­
brou que, no quarto congresso realizado
em São Paulo, que o Orixá que tomou
conta do evento, foi o orixá Egbe, e
que aqui no Brasil não se cultua mais, e
como é que é cultuado e cuidado o refe­
rido orixá Egbe. Se você quer saber,
entre em contato com ele ou com a
Revista Òrisàs & A fricanos.

O lfatayo Olagbaju, reforçando a
resposta, enfatizou que, no Brasil, a
única pessoa que ele sabe que tem e
cuida de Egbe, é o Professor José
Mendes Ferreira, - Baba Ifá Bemi -
que reside em São Paulo, e que Egbe
está na frente da casa dele.

Q uero tam bém co m p le ta r uma
outra coisa a respeito de Egbe, não
sotos eles que ficam fo ra da casa,
como p o r exem plo: Oxun da casa;

Xango da casa; Ogun da casa. Esses
Egbe, tem alguns que andam, que não
gostam de ficar na casa e gostam de
ficar na mata; tem alguns também que
ficam na terra, no fundo da terra, que
cria água, igual a água da Oxun, por
exemplo, pra pessoas, pra mulher que
nunca fica grávida, se ela conhecer
alguém que tem o Egbe, ela de ir até lá
e beber a água de Egbe, que esta na
mata ou está dentro da terra, e tenho
certeza que, depois de dois meses ela
irá engravidar. Para fin a liza r , eu
quero dizer que o orixá Egbe não pode
ser criado dentro de casa.

O Babalorixá Arthur D ’Logun, que
fala corretamente ingles, foi muitas das
vezes o interprete, e traduziu o que o
Ifasanu Olagbju, falou a respeito dos
Orixas que, por volta de 2.500 anos
atrás,ou mais, antes do cristianismo,
antes do islamismo, os Orixás tinham
corpo e corpus carnais, que eles anda­
vam sobre a terra, porém, cada um
com as suas funções diferentes.

Acrescentando e repetindo o que ele
já havia dito sobre Ossâin, que pra eles,
é um orixá mais não tão grande e tão
importante quanto os orixás que nós cul­
tuamos, como Xangô,Oxum, Ogum etc.
Que ele é apenas um espírito das folhas.

E Iyá Oshun, prosseguiu Arthur,
disse também, que tem mais um outro

orixá que eles cultuam na Africa, que é
tão importante quanto os outros, e que
nós não conhecem os, que se chama
Orô.

E que mulher não pode ver ou ouvir
Orô, e se por ventura isso ocorrer, ela
morre na hora.

O que é finalmente “Abiikú”?
Arthur aproveitando que estava com

a palavra, formulou a Iyá Oshun, a
seguinte pergunta:

Nós sabemos que a tradução da pala­
vra A biikú é nasceu para m orrer.
Porém, algumas pessoas erroneamente
no Brasil dizem:

- Há! Eu sou Abiku, então eu nasci
feita e não preciso ser iniciada.

Nós sabemos que isso é mentira!
Justamente pela tradição da palavra -
Abiikú = nasceu para a morte.

Então, eu gostaria que a senhora
falasse sobre o conceito de Abiikú na
África; Quais os casos que ocorrem o
Abiikú; E como cuidar do Abiikú,
para que, aquela mãe, que está com o
espírito de Abiikú no ventre, possa dar
a luz a um filho normal e possa criar o
seu filho, porque nós sabemos que o
Abiikú, é uma criança que nasce e não
vinga, ao contrário de que se pensam
por aí, que Abiikú, é uma pessoa que já
nasceu feita, e que nós sabemos perfei­
tamente que isso é mentira! ■

Page 43

r

Umbanda Religião Jeje uma Tradição
Ouça todas às Terças-feiras, das 22 às 24 horas, o programa mais antigo levado

ao ar pela Rádio Mauá Solimões, Umbanda Religião Jeje uma Tradição
Apresentação do Doté Nelson D’Azunsu. Ligue e participe!!!

RUMPAME RUNTOLOGI NACUNDÁ
NAÇÃO JEJE MARRYM

DOTÉ NELSON D AZANSU
Rua Valéria Cristina, Quadra 32 - Lote 16 Jardim Ideal II

Parque São José Belford Roxo - (Nova Iguaçu) - CEP 26196-140 - Celular 986-1537
Consulta com Jogo de Búzios e Cartas, de segunda a sábado a partir das 9h da manhã.

RADIO MARRYM
FM 93,7 - STEREO

Você que mora na Zona Oeste, agora
tem um motivo a mais para ouvir as
boas músicas', sintonize diariamente

das 06 às 00 hs, a sua
Radio Marrim FM - 93,7 - Stereo.

Com a maior programação do
Culto e da Cultura Afro-Brasileira

Comando: Doté Nelson de Azansu e
Mejitó Rômulo de Bessém.

Av. Marechal Fontenelle, 544
Salas 303/304 - Realengo/Mallet

S331-5749

Marrym Vídeo Locadora
Venha à nossa loja, e tenha certeza de encontrar as melhores

FITAS de filmes nacionais e internacionais, além de uma farta coleção de fitas de
C A N D O M B L É E U M B A N D A .

Rua Antônio João Mendonça, 1476 - Loja - Nilópolis - RJ

Page 44

Palias na vanguarda da cultura Negro Brasileira,
apresenta seus últimos lançamentos

A1IA1R(R0UVEIRA Abraçando um universo de4 376 cantigas
de Nação Keto, contendo o texto em Yorubá,
sua tradução fonética (pronúncia) e para o
português, este é o mais completo trabalho
já publicado sobre o tema.

Mais uma vez TÓgun nos presenteia com sua
sabedoria g experiência em um livro que,

segundo suas próprias palavras, é dedicado
a todas as pessoas desejosas de aprender

os rituais da religião dos Òrisà.

UÍÂiS T' 0 G U N

E L E G U N
In i c i a ç ã o n o C a n d o m b l é

JALLAS
Editora e Distribuidora Ltda

O C G GNCONTRA AS OBRAS DA PALLAS, MAS LIVIRARIAS
GSPGCIAUZADAS, C A M DG ARTIGOS DG SANTO, BOXGS
DAS GSTAÇÕGS RODOVIIÁRIAS G BANCAS DG RGVJISTAS.

ATGNDINGNTO PGLO RGGMBOLSO POSTAL (ANOTAR O S
UVIROS DGSGJADOS). SOLICITG NOSSO CATÁLOGO.

Rua Frederito de Albuquerque, 44 - Higienópotis
Rio de Janeiro - RJ - CEP 21050-840
S (021) - 270-0186 - Fax: 590-6996

Similer Documents